Barueri,    00:00:00

 

Os ventiladores de gravidade têm por objetivo a renovação do ar ambiente, abaixando a temperatura e diluindo a poluição (gases, vapores, poeira, outros) de fontes internas. Esse equipamento aproveita as correntes ascensionais de convecção do ambiente, provocadas pela diferença de temperatura entre o ar de entrada e o ar de saída, assim como a diferença de pressão piezométrica entre as cotas de entrada e de saída de ar. Por meio da exaustão é retirado do edifício o calor excessivo e o ar contaminado.

Ela deve ser compatível com as condições ambientais e não deve ser influenciada pela direção ou velocidade do vento 20 21. Para os edíficos construídos em pré-moldados de concreto, as telhas pré-moldadas para a cobertura necessitam de áreas para ventilação e iluminação naturais nelas aplicadas. O VENT-DOMOS foi desenvolvido para resolver esse problema com elegância, economia e eficiência. Trata-se, na realidade, de tipo especial de lanternim pré-fabricado em tubos retangulares de aço, com configuração que se encaixa entre duas telhas pré-moldadas e suporta uma ou duas fileiras de venezianas COMO-VENT em suas laterais; sendo o vão vencido por telhas BRASILVIC convenientemente adequadas transversalmente à posição das fileiras de venezianas. A estrutura de aço, aplicada com grapas especais no beiral das telhas, tem acabamento de pintura eletrostática com resina poliéster. Como não há consumo de energia, o sistema por gravidade é o de ventilação mais econômica para as instalações industriais exterior.

Como não há consumo de energia, o sistema por gravidade é o de ventilação mais econômica para as instalações industriais. A configuração do edifício, a localização das fontes de calor ou de contaminação do ar, condições climáticas, o grau de ocupação do pessoal no edifício, são alguns fatores determinantes para o projeto do sistema. Conforme a atividade industrial, todo o ar do edifício deverá ser renovado um número de vezes por hora (R/H), que é calculado mediante a diferença de temperatura (t1 – t2) (salto térmico) e a diferença das cotas de entrada e
saída do ar (H1 – H2) (salto piezométrico). Com esses dados, determina-se o modelo do ventilador, cujo caudal de extração (m3/H), deve atender a condição de renovação do ar ambiente (R/H), para as necessidades e condições do edifício.